Como está o seu amor próprio?

Você já ficou um dia inteiro, ou até semanas, se sentindo mal por causa da opinião dos outros?

Eu já passei por essa experiência e provavelmente, você também.

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ DÁ VALOR DEMAIS À OPINIÃO DOS OUTROS?

 

Você tem família, colegas de trabalho, amigos, vizinhos, mas muitas vezes se sente sozinho. Você tenta manter essas pessoas próximas a você, as convida para sair, para ir à sua casa, mas as pessoas são tão ocupadas, que raramente podem te encontrar.

Depois de muitas tentativas, você acaba se sentindo desamparado, rejeitado.

Já parou para pensar porque você está se sentindo assim?

Muitas podem ser as respostas para você, mas eu acredito numa simples e curta resposta: você está dependente da opinião dos outros sobre você mesmo.

Essa busca exagerada pela aprovação dos outros, acaba jogando você em círculo vicioso que devagarinho vai destruindo toda sua segurança e autoconfiança.

É preciso que você aprenda a julgar as opiniões que as pessoas tem sobre você, dando um peso a cada uma delas, passando pelo crivo da humildade e do bom senso.

COMO LIDAR COM AQUELES QUE NOS CRITICAM E NOS FAZER SOFRER

 

Ser criticado não é fácil, ainda mais quando a crítica vem de pessoas das quais se esperam apoio e compaixão.

Vivemos em sociedade e não há como fugirmos das críticas alheias.

É preciso utilizar essas críticas em seu favor, amadurecer, sentir mais amor próprio.

Você deve se amar verdadeiramente. Quem se ama verdadeiramente, é autoconfiante e sabe o valor real das críticas que recebe. Só se permite ser influenciado por essas críticas quando elas são positivas e contribuem para o seu crescimento moral e espiritual.

Para as pessoas com amor próprio, a maledicência dos outros diz mais sobre eles do que sobre seus alvos.

OS PERIGOS DA FALTA DE AMOR PRÓPRIO

 

Faça uma reflexão. Você se ama? O que você tem feito por você nos últimos dias? Às vezes você acaba suprimindo suas vontades e seus sonhos em detrimento dos outros?

Quando você não tem auto-amor, acaba dependente das compensações e favores do amor alheio, tornando-se cada vez mais inseguro e dependente dos outros, já que deposita valor demais no que eles pensam sobre você.

Você acaba se sentindo culpado quando pensa em você mesmo e deixa aflorar em seu coração sentimento de inutilidade e culpa, começa a se censurar, a se sentir um coitadinho.

Nesses estágio, todo o amor próprio se foi, a auto-estima foi dilacerada e a pessoa é constantemente atormentada por um complexo de inferioridade aterrorizante.

Há aqueles que passam a camuflar esses sentimentos, estampam um sorriso no rosto, seguem a vida, mas não resolvem de verdade o problema. Quando essa camuflagem se desfaz, se tornam pessoas revoltadas, indefesas, deprimidas e profundamente ofendidas com o mundo.

Mesmo quando se chega nessa fase de desânimo sem fim, ainda há uma saída.

COMO RESOLVER A FALTA DE AUTO-ESTIMA

 

As opiniões sobre nós tem grande valor mesmo quando são negativas, mas desde que sejam críticas construtivas.

Uma crítica só é construtiva quando é sincera, fraternal, dita cara a cara, visivelmente com amor. Quem critica para ajudar, sempre dá direcionamentos para solução.

Se a crítica não possuir esses critérios, deve ser desconsiderada, pois não passa de maledicência ou inveja.

Infelizmente não vivemos num mundo perfeito, tanto eu quanto você estamos numa grande batalha contra o ciúme e a inveja. Ninguém passa por essa vida sem ser alvo da difamação, maledicência e calúnia.

Viver afogado em queixas e desapontamentos não é a solução para elevar a auto-estima.

As opiniões dos outros são um valioso recurso de crescimento espiritual e você deve cultivar o afeto nas suas relações interpessoais, baseado na sinceridade, tendo como objetivo a melhoria e esclarecimento mútuo e, por consequência, o medo da rejeição se transformará em um fraternal sentimento de segurança e amizade.

COMO CULTIVAR O AMOR PRÓPRIO – CONCLUSÃO

Para cultivar seu amor próprio, tenha em mente:

  • Liberte-se da dependência do aprovação alheia em tudo que você faz;
  • Invariavelmente, as pessoas vão te criticar, então aproveite as críticas construtivas e ignore o ciúme e a inveja;
  • Procure manter relações sólidas, baseadas no afeto mútuo.

Caso tenha gostado do artigo, por favor, compartilhe nas suas redes sociais.

Fique em paz, fique com Deus.

 


Sidnei Bonfim
Sidnei Bonfim

Escritor, estudioso da espiritualidade, médium e palestrante. Utiliza este site para divulgação das suas ideias, auxiliando pessoas que desejam fortalecer sua conexão universal e progredir no seu desenvolvimento espiritual.